• English (UK)
  • +351 217 214 129
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

ANTÓNIO ALÇADA BAPTISTA

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Na conhecida dicotomia de Péguy, que afirmou tudo começar na mística e acabar na política, António Alçada Baptista quis agir no pólo profético, mais do que no lado político. Mas, sabendo que o campo político é o que influencia o dia a dia, não se alheou dele.


 

Recordando Joaquim Paço d'Arcos

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A obra de um escritor pode também lançar alguma luz sobre a sociedade do seu tempo e os dramas e os conflitos que afectaram tantos destinos individuais. Não é só o historiador ou o analista político que recupera e classifica essa memória, por vezes sob ópticas condicionadas pela sua própria visão dos factos. Também o escritor, o próprio político e tantos outros actores do palco no mundo nos deixam, noutras linguagens, o retrato do seu tempo.


 

Democracia sem Fronteiras?

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Marc Plattner é um dos autores norte-americanos que mais se tem dedicado à compreensão da democracia, tanto na sua vertente mais teórica e abstracta, como na sua dimensão mais prática.


 

Humanismo Político - Sobre o Pensamento de Hannah Arendt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Hannah Arendt é sem dúvida uma das mais importantes fi guras do pensamento político contemporâneo. Famosa pelo seu trabalho sobre totalitarismo, em particular através das obras The Origins of Totalitarianism (1951) e Eichmann in Jerusalem: A Report on the Banality of Evil (1963) – baseado na sua reportagem para a revista The New Yorker sobre o julgamento de Adolf Eichmann, conhecido como “o arquitecto do holocausto” – a obra de Hannah Arendt cobre muitos outros temas como a natureza da liberdade, o conceito de revolução e as capacidades humanas de pensar e julgar.


 

Daviz Simango - O herói do momento na política moçambicana

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Por regra não classifico políticos nem como heróis nem como vilões. Considero que tanto a idolatria como o diabolismo são o primeiro passo para a nossa auto-desresponsabilização e para, em consequência, negligenciarmos o nosso papel de cidadãos vigilantes. Gosto de aplicar ao conceito de heroísmo na política a definição de felicidade do Júlio Machado Vaz, a qual dita que a felicidade não é um acto contínuo, mas sim momentos de felicidade. Assim, não existem heróís na política, mas antes momentos de heroísmo.


 

Agradecemos o amável e generoso apoio dos nossos patrocinadores:

logo ucp iep lisboa

Logo Jerónimo Martins

logo radio renascenca

© 2021 Nova Cidadania. All Rights Reserved.
Desenvolvimento Angulo Sólido

Please publish modules in offcanvas position.